quinta-feira, fevereiro 25, 2010

Duque

Duque


ISABELA SEVERO


Não é por nada, mas eu já nasci sendo rejeitado. É o que eu acho, o que todos aqueles psiquiatras tentam entender. Dizem fiquei assim por causa do meu pai. Um dia eu o conheci... Talvez seja um problema ter um pai que faleceu dois dias depois de você nascer. Mas para mim não faz diferença.


Ser o caçula e sentir um instinto paternal pelos irmãos mais velhos era o que me mantinha responsabilizado. O tempo passa, cada um no seu caminho, na sua própria vida. E eu, o único que continua aqui, agora sem estas responsabilidades. O que significa, óbvio, que eu sou um inútil.


E o que resta? Me sento em um sofá feio e rasgado, confessando o quanto queria voltar a ser criança. Meus pensamentos inocentes e imortais, se transformam em sonhos justos de um futuro morto. Me pergunto todos os dias porque ainda estou aqui. Na minha cabeça, ser adulto é como ter no sangue um veneno colossal.


Tanta coisa acontecendo na minha vida, apesar dos dias solitários que ocupam a maior parte dela. Ninguém quer chegar perto de mim e isso me deprime. Quem sabe eu tenho cara de assassino? Era o meu apelido na faculdade.


Ainda bem que, finalmente, me livrei do pesadelo. Nem sei porque eu fiz, vai ver porque meu irmão me obrigou, ou para provar a mim mesmo que não sou completamente descartável. Vão em frente, psiquiatras, digam o que há de errado comigo.




SEVERO, Isabela. In: SEVERO, Ariane et al. Ditadura, Anistia e Greve Geral 30 anos depois. Porto Alegre: Martins Editora, 2009. (Oficina de Criação Literária Alcy Cheuíche, SindBancários, 2009).


O livro citado acima foi publicado após uma oficina de criação literária realizada no Sindicato dos Bancários, em 2009. A autora se apresenta como tendo nascido em 14 de junho de 1996, portanto com 13 anos atualmente. Custo a acreditar. Para mim foi um talento que se destacou entre os sete autores que li até o momento. São treze autores ao total no livro. E o fato de Isabela Severo se destacar não significa que os outros seis autores que já li são maus autores. Mas ela é um talento precoce, e, para mim, invejável.


Marcadores:

2 Comments:

Anonymous Anônimo said...

A guria aí citada é realmente um talento. E, sim, tem 13 anos.
Parabéns Isabela!

6:52 PM  
Blogger zealfredo said...

Eu fiquei impressionado.

11:10 PM  

Postar um comentário

<< Home